anunciar tabela de preços enviar notícia
rede social :: login
4 Crianças à Venda
Brasil|cultura|16/11 13:01|647 visualizações
Matéria publicada na edição 1549 do Jornal do Parabrisa impresso
 
4 CRIANÇAS À VENDA

Lucille Chalifoux, a mãe da foto, enfrentava o despejo de seu apartamento e, sem outras opções, tomou a difícil decisão de vender seus quatro filhos.
A foto chamou a atenção do público ao ser publicada no jornal local.
Choveram ofertas de apoio e oportunidades de emprego, mas infelizmente não foram suficientes para salvar as crianças do seu destino desafiador.
O filho mais novo, David, foi adotado por Harry e Luella McDaniel, que lhe proporcionaram um lar estável e seguro.
Embora sua educação tenha sido rigorosa, ele finalmente encontrou estabilidade e serviu no exército por 20 anos antes de trabalhar como motorista de caminhão.
No entanto, os irmãos mais velhos, RaeAnn e Milton, tiveram uma experiência muito mais angustiante. Eles foram vendidos a um casal chamado John e Ruth Zoeteman, que os tratou como propriedade e não como filhos.
Eles foram acorrentados em um celeiro e submetidos a abusos físicos e emocionais. RaeAnn, em particular, teve uma educação traumática, incluindo um incidente de sequestro, estupro e gravidez na adolescência.
Apesar das dificuldades, RaeAnn e Milton conseguiram se reconectar quando adultos.
Infelizmente, sua irmã Lana faleceu antes que pudessem se reunir.
Outra irmã, Sue Ellen, estava nos estágios finais de uma doença pulmonar no momento do reencontro, mas conseguiu expressar seu amor pelos irmãos por meio de comunicação escrita.

Palavras de Sue Ellen para a mãe biológica que os vendeu:
 'Ela precisa estar no inferno,  queimando'
 
 
enviar notíciaenviar informaçõesenviar foto comentar

Comentar usando as Redes Sociais
16/11 15:04

Essa notícia é bem antiga e naqueles tempos existia mesmo esses casos.

16/11 16:53

Monstruoso que coisa horrivel meu deus.

Lúcida
16/11 19:10

Condenam a mãe mas ninguém perguntou sobre o pai...sociedade machista e hipócrita que prefere condenar a ajudar. Se fosse um pai desesperado choveriam comentários do tipo "guerreiro", "exemplo", mas como o foi com uma mãe...

Comentar esta notícia

comentário

(500 caracteres)

nome completo
cidade